segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS PARTE 4

TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS PARTE 4


MEDICAMENTOS

CEFUROXIMA
CETOPROFENO
CICLOSPORINA
CIMETIDINA
CIPROFLOXACINO CLORIDRATO
CIPROFLOXACINO (4mg/mL).
CISATRACÚRIO BESILATO
CLARITROMICINA
CLINDAMICINA, FOSFATO
CLONIDINA, CLORIDRATO
CLORANFENICOL SUCCINATO SÓDICO
CLORDIAZEPÓXIDO
CLORETO DE POTÁSSIO
CLORETO DE SÓDIO
CLORIDRATO DE S (+) CETAMINA
CLORPROMAZINA
     CONCENTRADO PROTOMBÍNICO

CEFUROXIMA

PRINCÍPIO ATIVO : CEFUROXIMA
NOME COMERCIAL: ZINACEF
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 750mg
CLASSE FARMACOLÓGICA Antimicrobiano
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 3 mL no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 3 mL no frasco,homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 3 mL no frasco homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo no mínimo 6 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco,homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo simples ou equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 7,5mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL .Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  É reconstituído em ABD, mantém-se estável por 5 horas, se conservado a 25°C, e por 48horas, se mantido sob-refrigeração.
v  Se reconstituído em SF 0,9%; SG 5%; SG 10%; Cloreto de sódio 0,18% p/v + glicose 4%;Glicose a 5% e cloreto de sódio 0,9%; Glicose a 5% e cloreto de sódio 0,45%; Glicose a5% e cloreto de sódio 0,225%; Açúcar invertido a 10% em água para injeção; Solução de Ringer USP; Solução de Ringer com lactato USP; Lactato de sódio M/6 ; Solução de artmann, mantém-se estável por 24 horas em temperatura ambiente.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em ABD, SF 0,9% ou SG 5%.Possuem estabilidade de 24 horas em temperatura ambiente ou 7 dias sob refrigeração.
INCOMPATIBILIDADE
v   Solução de bicarbonato de sódio a 2,7% p/v, Furosemida, Aminoglicosídeos, Barbitúricos
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Deve ser armazenado abaixo de 25°C.
v  Deve ser protegido da luz.
v  Infundir lentamente

CETOPROFENO

PRINCÍPIO ATIVO :CETOPROFENO
NOME COMERCIAL: PROFENID
APRESENTAÇÃO Frasco 100 mg Ampola 2 mL (50 mg/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Analgésico, antirreumático, anti-inflamatório
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de SF 0,9% ou ABD, com agulha 40x12, seringa 5 mL, no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de SF 0,9% ou ABD, com agulha 40x12, seringa 5 mL, no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de SF 0,9% ou ABD, com agulha 40x12, seringa 5 mL, no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70% e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 3 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF 0,9% ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 3 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL e agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med para BI na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ESTABILIDADE
v  Reconstituir em SF 0,9% ou ABD.
v  Reconstituído possuem estabilidade de 8 horas em temperatura ambiente e protegido da luz.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  IV: Diluir com SF 0,9% ou SG 5%.
v  Diluído possuem estabilidade de 8 horas em temperatura ambiente e protegido da luz.
INCOMPATIBILIDADE
v  Paracetamol, ciclosporina, corticoesteróides, ácido acetilsalicílico, heparina.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Não deve ser usado durante a gestação e lactação.
v  O paciente durante a terapia deve usar roupas e protetores solares para evitar processos de fotossensibilidade.
v  Infundir de 20 minutos.

CICLOSPORINA

PRINCÌPIO ATIVO CICLOSPORINA
NOME COMERCIAL SANDIMMUN
APRESENTAÇÃO Concentrado para solução para perfusão.100mg/mL (frasco ampola de 50mL).
CLASSE FARMACOLÓGICA
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV.
v  Reconstituição: Não é necessário.
v  Diluição / Administração: Diluir na proporção 1:20 a 1:100 v/v com solução de cloreto de sódio 0,9% ou glicose a 5%.
v  Administrar durante 2-6 horas.
ESTABILIDADE APÓS DILUIÇÃO / RECONSTITUIÇÃO:
v  Estável por 48 horas a temperatura ambiente.
v  Estável durante 72 horas à temperatura ambiente, quando misturada com glicose a 5% e com solução de aminoácidos a 10% com glicose a 5%, e com lipídeos a 10%.
v  Esta informação pode ser útil para facilitar a administração da ciclosporina em doentes que não tenham acessos EVs suficientes.
ADMINISTRAÇÃO SC.
v  Não se aplica
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Armazenamento: Armazenar em temperatura ambiente
v  A Ciclosporina (Sandimmun) contém óleo de rícino polioxietilado que pode causar remoção do ftalato do PVC; usar recipientes de vidro para infusão ou frascos de plástico desde que estejam de acordo com os requisitos da Farmacopéia Européia: "recipientes de plástico para sangue".

CIMETIDINA

PRINCÍPIO ATIVO : CIMETIDINA
NOME COMERCIAL: TAGAMET
APRESENTAÇÃO Ampola 2mL (150mg/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antiúlcera
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 1 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar antissepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 mL, agulha 40X12, diluir em 8 mL de ABD.Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV (pelo menos 5 min).
PED:
Realizar antissepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 mL, agulha 40X12, diluir em 8 mL de ABD. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV (pelo menos 5 min).
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 3 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF0,9%, ABD ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 3 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, ABD ou SG 5%conforme prescrição médica. Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, ABD ou SG 5%conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução
v  Não possui estabilidade.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9%, SG 5% e 10%, Ringer com lactato e bicarbonato de sódio 5%.
v  Não possui estabilidades.
v  Não refrigerar.
INCOMPATIBILIDADE
v  Antiácidos, Aminofilina, Metoclopramida, Varfarina, Propanolol, Fenitoina e Lidocaína.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Deve ser mantido em temperatura ambiente.

CIPROFLOXACINO CLORIDRATO

PRINCÍPIO ATIVO: CIPROFLOXACINA, CLORIDRATO
NOME COMERCIAL: CIPRO
APRESENTAÇÃO
v  Frasco-ampola 100 mL (2mg/mL).
v  Frasco-ampola 200 mL (2mg/mL).
CLASSE FARMACOLÓGICA Anti-infeccioso de amplo espectro, ativo conta ampla gama de micro-organismos aeróbios GRAM + e GRAM –
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%.Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%,diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato,solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio. Conectar equipo med med ou equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
NEO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%,diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Não possui estabilidades.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio.
v  Deve ser conservado na embalagem original e em temperatura ambiente, entre 15°e30ºC; evitar armazenar em refrigerador.
v  A solução para infusão é sensível à luz; portanto, só deve ser retirada da embalagem externa no momento do uso.
v  Uma vez retirada da embalagem, a solução para infusão permanece estável por três dias, à luz natural.
INCOMPATIBILIDADE
v  Interage com a fenitoína, o que pode elevá-la a nível tóxico ou reduzir o controle de convulsões; Clindamicina, Amoxicilina, Furosemida, Hidrocortisona, Cefepime, Heparina, Bicarbonato de sódio, Dexametasona, Hidrocortisona, Aminofilina, Penicilina.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Deve ser infundido em no mínimo 30 minutos.
v  A administração EV rápida causa reações graves.
v  Deve ser administrado em veia de grosso calibre.
v  Por causa da fotossensibilidade da solução, retirar o frasco da caixa somente no momento do uso.
v  Sua eficácia se mantém por 3 dias sob condições de luz natural

CIPROFLOXACINO
(4mg/mL).

PRINCÍPIO ATIVO : CIPROFLOXACINO
NOME COMERCIAL: CIPRO
APRESENTAÇÃO
v  Frasco 100 mL (4mg/mL).
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibacteriano de amplo espectro contra ampla gama de micro-organismos aeróbios GRAM+ E GRAM –
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio . Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min). Conectar o equipo simples no frasco da medicação e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio,conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (60 min).
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Não possui estabilidades.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9% ou SG 5% ou 10%, solução de Ringer e solução de Ringer lactato, solução de frutose a 10% e solução de glicose a 5% com 0,225% ou 0,45% de cloreto de sódio.
v  Deve ser conservado na embalagem original e em temperatura ambiente, entre 15°e30ºC;
v  Evitar armazenar em refrigerador.
v  A solução para infusão é sensível à luz; portanto, só deve ser retirada da embalagem externa no momento do uso.
v  Uma vez retirada da embalagem, a solução para infusão permanece estável por três dias, à luz natural.
INCOMPATIBILIDADE
v  Interage com a fenitoína, o que pode elevá-la a nível tóxico ou reduzir o controle de convulsões; Clindamicina, Amoxicilina, Furosemida, Hidrocortisona, Cefepime, Heparina, Bicarbonato de sódio, Dexametasona, Hidrocortisona, Aminofilina.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Deve ser infundido em no mínimo 30 minutos. A administração EV rápida causa reações graves.
v  Deve ser administrado em veia de grosso calibre.
v  Por causa da fotossensibilidade da solução, retirar o frasco da caixa somente no momento do uso.
v  Sua eficácia se mantém por 3 dias sob condições de luz natural.


CISATRACÚRIO BESILATO

PRINCÍPIO ATIVO :CISATRACÚRIO,BESILATO
NOME COMERCIAL:NIMBIUM
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 5ml (2mg/ml)
CLASSE FARMACOLÓGICA Relaxante do músculo esquelético
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de20 ml, agulha 40X12, diluir em 15 ml de ABD. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar à dose da medicação prescrita com seringa de 10 ml, agulha 40X12, diluir em ABD conforme prescrição médica. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 ml de SF 0,9% ou SG 5%. Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 5 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir SF 0,9% ou SG 5%.Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Não possui estabilidades.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir com SF 0,9%, SG 5%, cloreto de sódio (0,18% p/v) e glicose (4% p/v) ou cloreto de sódio (0,45% p/v) e glicose (2,5% p/v).
v  Diluído possui estabilidade de 24 horas a 5°C e 25°C.
INCOMPATIBILIDADE
Solução de Ringer Lactato, cloridrato de alfentanil, droperidol, citrato de fentanil, cloridratode midazolam e citrato de sufentanil.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  O frasco intacto pode ser mantido sob-refrigeração de 2 a 8°C.
v  Se remover do refrigerador p/ temperatura ambiente a 25°C, usar dentro de 21 dias, inclusive se retornar p/ refrigeração.
v  Deve ser protegido da luz
v  Não deve ser congelado
CLARITROMICINA

PRINCÍPIO ATIVO: CLARITROMICINA
NOME COMERCIAL: KLARICID
APRESENTAÇÃO Frasco - ampola 500mg
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibiótico
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 8 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em250 mL de solução compatível. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de ABD com seringa de 5 mL, agulha 40X12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em solução compatível conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de ABD com seringa de 5 mL, agulha 40X12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em solução compatível conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Reconstituir em ABD.
v  Usar somente Água para Injeção.
v  Outros diluentes podem causar precipitação.
v  Não possui estabilidade do ponto de vista microbiológico.
v  Após a reconstituição, deve ser utilizado imediatamente.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Pode ser diluído em:- Solução de glicose 5% em Ringer lactato,- Glicose 5%,- Ringer lactato- Glicose 5% em cloreto de sódio 0,3%- Glicose 5% em cloreto de sódio 0,45%- Normosol-M em glicose 5%- Normosol-R em glicose 5%- Cloreto de sódio 0,9%.
v  Após a diluição, mantém-se estável por no máximo 24 horas se conservado em temperatura entre 2 e 8ºC.
INCOMPATIBILIDADES
v  Carbamazepina, Teofilina.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  A medicação deve ser armazenado em temperatura ambiente (15-30ºC), ao abrigo da luz e da umidade.

CLINDAMICINA, FOSFATO

PRINCÍPIO ATIVO: CLINDAMICINA, FOSFATO
NOME COMERCIAL: DALACIN
APRESENTAÇÃO
v  Ampola 2mL (150mg/mL)
v  Ampola 4mL (150mg/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA  Antibiótico antibacteriano e anti-protozoário
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a quantidade de medicação prescrita da ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a quantidade de medicação prescrita da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a quantidade de medicação prescrita da ampola com agulha 40x12, seringa 1 mL, Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 13x4,5conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 5 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF 0,9%, Ringer Lactato ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 3 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, Ringer Lactato ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo simples ou med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, Ringer Lactato ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Não possui estabilidades.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9%, SG 5% ou Ringer Lactato.
v  Diluído é estável por 16 dias em temperatura ambiente (25°C), 32 dias sob refrigeração (4ºC) e 8 semanas sob congelamento (-10ºC).
INCOMPATIBILIDADE
v  Ampicilina sódica, fenitoína, sódica, barbitúricos, aminofilina, gliconato de cálcio, sulfatode magnésio, ceftriaxona sódica e ciprofloxacino.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Não deve ser administrada EV não diluída, em bolus.
v  Não é recomendada a administração de mais de 1200 mg em uma infusão única de 1hora.
v  Deve ser conservado sob-refrigeração (entre 2 e 8°C).

CLONIDINA, CLORIDRATO

PRINCÍPIO ATIVO CLONIDINA
NOME COMERCIAL CLONIDIN
APRESENTAÇÃO : Solução Injetável Ampola, 1 ml contendo 150 mcg/mL
CLASSE FARMACOLÓGICA Analgésico potente de curta duração, a solução injetável, tem aplicações que incluem analgesia e ação sinérgica com anestésicos opióides lipofílicos, morfina e anestésicos locais.
ADMINISTRAÇÃO IM
v  As aplicações mais aconselháveis são IM profunda
ADMINISTRAÇÃO EV
v  IV lenta (7 a 10 minutos) ou diluída. por gotejamento intravenoso;
Tempo de infusão:
v  Adulto: 30mcg/hora
v  Criança: 0,5mcg/Kg/hora
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
VIA DE ADMINISTRAÇÃO EPIDURAL
v  Dose inicial de 150 mcg via intratecal, peridural produz analgesia de curta duração (4 a 6 horas) e deverá ser repetida de acordo com as respostas do paciente. Na aplicação intratecal, a analgesia é de duração dose dependente; 450 mcg em dose única produz analgesia de até 14 horas. A faixa de 300 a 450 mcg é considerada a mais segura por ser hemodinamicamente mais estável e provocar menos efeitos colaterais
RECONSTITUIÇÂO
v  Não é necessário
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Cloreto de sódio 0,9%
v  Volume: 1,5 a 2 ml
INCOMPATIBILIDADE
v  Não aplicável.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Não conservar acima de 25ºC
v  A clonidina tem efeitos aditivos quando usado concomitantemente com álcool, barbitúricos ou depressores do SNC como hipnóticos, sedativos, tranqüilizantes. Os analgésicos narcóticos podem potencializar os efeitos hipotensivos da clonidina.
v  Não deve ser usada concomitantemente com adrenolíticos alfa, de efeitos subtrativos por antagonismo aos receptores.
v  Não deve ser usada com antidepressivos tricíclicos, agentes bloqueadores beta-adrenérgicos. Os primeiros podem antagonizar os efeitos hipotensivos da clonidina, sendo que seus efeitos sobre a ação analgésica da clonidina são desconhecidos.

CLORANFENICOL SUCCINATO SÓDICO

PRINCÍPIO ATIVO CLORANFENICOL SUCCINATO SÓDICO
NOME COMERCIAL QUEMICETINA
APRESENTAÇÃO Pó liofilizado, Cada frasco-ampola contém 1000 mg, + água para injeção ampola de 5 mL
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibiótico de amplo espectro, sendo eficaz contra bactérias Gram-negativas, Gram-positivas e riquétsias. É um inibidor da síntese proteica bacteriana, por inibição da unidade ribossómica 50S (sem esta unidade a bactéria não consegue sintetizar proteínas vitais para a sua multiplicação e sobrevivência).
ADMINISTRAÇÃO
A administração parenteral deve ser feita por via IV. Adultos: 50 mg de Cloranfenicol por quilo de peso por dia. A dose máxima para adultos é de 4 g/dia. Em infecções graves, assim como em meningites, a dose pode chegar a 100 mg/kg/dia. Crianças: 25 a 50 mg/kg/dia. A concentração sérica, tanto para via oral como para a parenteral deve ser mantida em 10 a 25 microgramas por ml. Não deve nunca ser tomado em infecções leves. A ação da via intramuscular é tão rápida quanto por via intravenosa. Não se aconselha, contudo, o uso desta via em crianças.
Preparo e administração conforme a(s) via (s) IV Infusão em bolus
RECONSTITUIÇÃO (DILUENTE/VOLUME)
v  Água estéril para injeção - 10 mL
v  Tempo de administração 1 min
v  Após reconstituição com ABD (10 ml) é estável por 1 mês em temperatura ambiente e por 6 meses se refrigerado.
v  Com SF 0,9% ou SG 5%, reconstituir em 5 ml de ABD e diluir em 50 a 100 ml e administrar em 30 a 60 minutos.
ESTABILIDADE
v  Temperatura ambiente (15º C a 30ºC)
v  Estabilidade Anterior à reconstituição/diluição Sim -
v  Após a reconstituição  30 min -
INCOMPATIBILIDADE
Como qualquer remédio, deve evitar tomar este antibiótico misturado com:
Fenobarbital
v  Pode reduzir a concentração plasmática do antibiótico, diminui seu efeito.
Antibióticos
Produz efeito antagônico "in vitro" com penicilina e aminoglicosídeos.
Outras drogas
v  Com a clorpropamida, varfarina e fenitoína - Interferem na biotransformação
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
Interações medicamentosas:
v  É incompatível ou apresenta pouca atividade quando em presença de ácido ascórbico, carbenicilina, hidroxisina, meticilina, metoclopramida, prometazona, pantotenato de sódio, polivitamínicos B, várias tetraciclinas, vancomicina e complexo vitamínico B.

CLORDIAZEPÓXIDO

PRINCÍPIO ATIVO CLORDIAZEPÓXIDO
NOME COMERCIAL PSICOSEDIN
APRESENTAÇÃO Pó para solução injetável e diluente 100mg (frasco ampola).
CLASSE FARMACOLÓGICA Ansiolítico, sedante hipnótico, medicamento pertencente ao grupo e sub-grupos: Medicamentos Sistema nervoso central Psicofármacos, Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos Benzodiazepinas
ADMINISTRAÇÃO
IM profunda e IV lenta.
Dose média: 50-100 mg I.M. ou E.V.. Repetir, se necessário, 2 a 4 horas após ou 25-50mg, 3 a 4 vezes ao dia. Dose máxima: 300mg durante um período de 6 horas.
Preparação da solução injetável
Para uso intramuscular:
Adicionar 2 mL do solvente especial intramuscular ao frasco-ampola que contém 100mg de substância ativa. Introduzir o líquido lentamente no frasco-ampola, sem fazer muita pressão, a fim de evitar a formação de bolhas na superfície da solução. Agitar suavemente até a completa dissolução. Preparar a solução no momento do uso. Desprezar o que não for imediatamente utilizado. Injetar profunda e lentamente no quadrante lateral e superior da região glútea. Não usar o solvente se este estiver opalescente ou turvo.
Atenção: O produto preparado para via intramuscular não deve ser empregado por via endovenosa.
Para uso endovenoso:
Adicionar 5 mL de soluto salino fisiológico estéril ou água destilada ao frasco-ampola contendo 100 mg de clordiazepóxido. Agitar suavemente até completa dissolução. Preparar a solução no momento do uso. Desprezar o que não for imediatamente utilizado.
Atenção: O produto preparado para injeção endovenosa não deve ser empregado por via intramuscular.
RECONSTITUIÇÂO
v  Usar imediatamente após a reconstituição.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Deve ser evitado o uso concomitante de álcool e medicamentos depressores do Sistema Nervoso Central.
v  Armazenar em temperatura de até 25ºC, não congelar e proteger da luz.
v  Introduzir o líquido lentamente no frasco-ampola, sem fazer muita pressão, a fim de evitar a formação de bolhas na superfície da solução.
v  Nem a solução nem o diluente devem ser usados se apresentar opalescente ou turvo.
v  Diluição / Administração: O produto preparado para a via IM não deve ser administrado por via IV, e vice-versa.

CLORETO DE POTÁSSIO

PRINCÍPIO ATIVO: CLORETO DE POTÁSSIO
NOME COMERCIAL: CLORETO DE POTÁSSIO
APRESENTAÇÃO AMP 10ml - 10% e 15%
CLASSE FARMACOLÓGICA Remineralizante
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar à dose da medicação prescrita com seringa de 10 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em100 ml de SF 0,9% ou SG 5%. Conectar equipo para BI na medicação diluída e administrar conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo para BI na medicação diluída e administrar conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 ml, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo para BI na medicação diluída e administrar conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Não se aplica.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9% ou SG 5%.
v  Não apresenta estabilidade.
INCOMPATIBILIDADES
v  Anticolinérgicos, Diuréticos poupadores de Potássio.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Antes e durante a infusão monitore o ritmo cardíaco.
v  Durante a terapia monitore a função renal.
v  O produto deve ser armazenado sob proteção de calor, umidade e luz natural direta

CLORETO DE SÓDIO

PRINCÍPIO ATIVO CLORETO DE SÓDIO
NOME COMERCIAL CLORETO DE SÓDIO
APRESENTAÇÃO Solução injetável de cloreto de sódio a 0,9%,10% e 20%
v  Solução injetável 0,9% (0,154 mEq/mL)
v  Solução injetável 20% (3,4 mEq/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Sangue e órgãos hematopoiéticos, soluções reposição hídrica e eletrolítica (hidroeletrolíticas).
ADMINISTRAÇÃO
Vias de administração: IV.
Diluição / Administração:
v  A solução de cloreto de sódio 20% e hipertônica e deve ser diluída antes do uso.
v  Deve ser administrada preferentemente por meio de cateter instalado em veia de maior calibre.
v  A concentração e a dose das soluções de cloreto de sódio para uso intravenoso são determinadas por diversos fatores, incluindo idade, peso, condição clinica e, em particular, o estado de hidratação do paciente.
v  As concentrações séricas de eletrólitos devem ser cuidadosamente verificadas.
v  Em depleção grave de sódio, 2 a 3 litros de cloreto de sódio 0,9% podem ser administrados durante 2 a 3 horas, seguidos de infusão intravenosa mais lenta.
v  Se houver depleção combinada de água e sódio, uma mistura 1:1 de cloreto de sódio 0,9% e glicose 5% pode ser apropriada.
v  As necessidades medias diárias de sódio e cloreto para adultos são alcançadas pela infusão de 1 L de cloreto de sódio 0,9%.
v  As necessidades de fluido devem ser calculadas com manutenção ou reposição de necessidades de fluido.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Não é necessário
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
INCOMPATIBILIDADES
v  Alguns medicamentos podem interagir com solução de cloreto de sódio, especialmente corticosteroides, e terem seus efeitos adversos aumentados.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Proteger a embalagem de extremos de temperatura.
v  Armazenar a 25 .C.
v  Não utilizar soluções turvas e descartar porções não utilizadas.
v  Durante infusão continua substituir o frasco da solução ao menos a cada 24 horas.
v  Erro de diluição deste medicamento, com infusão de soluções excessivamente Concentradas, pode acarretar as seguintes reações: aumento da osmolaridade do plasma, sede, agitação, irritabilidade, letargia, tremores, podendo levar a convulsões, além de processo inflamatório da veia utilizada

CLORIDRATO DE S (+) CETAMINA

PRINCÍPIO ATIVO: CLORIDRATO DE S (+) CETAMINA
NOME COMERCIAL: KETAMIN-S(+)
APRESENTAÇÃO 50mg/mL F/A 10mL
CLASSE FARMACOLÓGICA Anestésico Geral
ADMINISTRAÇÃO IM
PED:
Realizar assepsia do frasco- ampola com bola de algodão e álcool 70%, realizar a reconstituição com água destilada e aspirar a medicação do frasco- ampola com agulha40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia do frasco- ampola com bola de algodão e álcool 70%, realizar a reconstituição com água destilada e aspirar a medicação do frasco- ampola com agulha40x12, seringa 1 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em100 mL de SF 0,9%, ABD ou SG 5%. Conectar equipo para BI na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 5 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, ABD ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo para BI na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL, agulha 40X12. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF0,9%, ABD ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med para BI na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Reconstituído não possui estabilidade.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF0,9% ou SG 5%.
v  Diluído é estável por 48h à temperatura ambiente.
INCOMPATIBILIDADES
v  Barbitúricos. Pode ocorrer a formação de precipitado.
v  Não deve, portanto, ser injetados juntos, na mesma seringa.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  A medicação deve ser mantida protegida da luz.
v  Não utilizar o medicamento durante a gravidez e o período de amamentação.

CLORPROMAZINA

PRINCÍPIO ATIVO: CLORPROMAZINA
NOME COMERCIAL: AMPLICTIL
APRESENTAÇÃO Ampola 5mL (5mg/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antipsicótico de potência relativamente baixa, sedativo e antiarrítmico
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 20 mL, agulha 40X12, diluir em 15 mL de ABD.Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 5 mL, agulha 40X12, diluir em ABD conforme prescrição médica. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 5 mL, agulha 40X12, diluir em ABD conforme prescrição médica. Utilizar a seringa de 1 mL para aspirar a dosagem prescrita. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução
v  Não possui estabilidade.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9%.Diluída em Fr. De 5 ml de 18 a 23ºC no escuro ficando estável por 30 dias.
INCOMPATIBILIDADE
v  Medicamentos e soluções alcalinos.Aminifilina, Anfotericina B, Ampicilina, Cloranfenicol, Clorotiazida, Floxacilina, Furosemida,Metoexital, Fenobarbital.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Monitorizar pressão arterial.
v  Usar luvas e máscara durante o preparo para evitar dermatite por contato.
v  Medicamento sensível a luz.

CONCENTRADO PROTOMBÍNICO

PRINCÍPIO ATIVO: CONCENTRADO PROTOMBÍNICO
NOME COMERCIAL: BERIPLEX
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 500UI/20Ml
CLASSE FARMACOLÓGICA Tratamento de hemorragias causadas por deficiência congênita ou adquiridos fatores de coagulação II, VII, IX, X.
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool70%, Realizar a reconstituição introduzindo diluente próprio, com seringa de 20 mL, agulha 40X12 no frasco-ampola. Realizar homogeneização com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO EV EMSOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool70%. Realizar a reconstituição introduzindo diluente próprio, com seringa de10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, Realizar homogeneização com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF 0,9%, ABD ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Reconstituir com diluente próprio (Diluente de 20mL). Obtendo uma solução clara e levemente opalescente.
v  Não misturar outros medicamentos na seringa, não agitar.
v  Reconstituído é estável por 48h à temperatura ambiente.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Não se aplica.
v  Diluído não possui estabilidade.
INCOMPATIBILIDADES
v  Não foram encontradas informações na literatura.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  A medicação não deve ser congelada.
v  Após reconstituído, se possível, a medicação deve ser utilizada imediatamente.
v  Não armazenar em seringas plásticas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1.    CASTRO, M.S.; COSTA,T.D. Vias e métodos de administração e formas farmacêuticas. In: Farmacologia Clínica para Cirurgiões-Dentistas. 1999 p. 29-35.
2.    DINIS, A. P. Guia de preparação e administração de medicamentos por via parentérica. Disponível em:
3.    ENFERMAGEM BÁSICA - Teoria e Prática. 1999. Editora Reedel Ltda.
4.    FARIH, F. T. Manual de Diluição e Administração de Medicamentos Injetáveis. Rio de Janeiro:
5.    GIOVANI, A M.M. Enfermagem: cálculo e administração de medicamentos São Paulo: Legnar
6.    HORTA,WANDA AGUIAR. TEIXEIRA,MILTON DE SOUZA. Injeções Parenterais. Ver. Esc. Enfermagem USP 7(1):46-79.marc.1973.
7.    MANUAL DO AMBIENTE HOSPITALAR. São Paulo: Manual Real, 2005. p.55-7
8.    KAWAMOTO, E.E. FORTES, J.I. Fundamentos de Enfermagem. 1997. Editora Pedagógica e Universitária Ltda.
9.    MENDES, ISABEL AMÉLIA COSTA. NOGUEIRA, MARIA SUELY et al. Rev.Bras. Enfermagem. 41(2):93-6.abr-jun. 1988.
10. PHILLIPS, D. L. Manual de Terapia Intravenosa. Porto Alegre,: Artmed, 2001. Reichmann & Affonso Ed., 2000.
11. SCHULL, P. D. Enfermagem Básica: teoria e prática Cap. 6 A Terapia Intravascular p.277. Rideel, São
12. SOUZA, V. H. S; MOZACHI, N. Rotinas: administração de medicamentos.
13. TRISSEL, L.A. Handbook on Injectable Drugs. Houston, American Society of Health-System Pharmacists, 2007.
14. WEINSTEIN, S. Principles and Practice of Intravenous Therapy. New York, Lippincott, 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário