segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS PARTE 3

TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS PARTE 3


RELAÇÃO DE MEDICAMENTOS

1.    BENZIL PENICILINA BENZATINA
2.    BEMZIL PENICILINA POTÁSSICA
3.    BENZILPENICILINA PROCAÍNA, BENZILPENICILINA POTÁSSICA
4.    BETAMETASONA, FOSFATO DISSODICO/ ACETATO
5.    BICARBONATO DE SÓDIO 8,4%
6.    BIPERIDENO LACTATO
7.    BROMOPRIDA
8.    CARVÃO ATIVADO SUSP EM SORBITOL A 70%
9.    CASPOFUNGINA, ACETATO
10. CEFALOTINA
11. CEFAZOLINA
12. CEFEPIMA CLORIDRATO
13. CEFOXITINA
14. CEFTAZIDIMA
15. CEFTRIAXONA DISSODICA

BENZIL PENICILINA BENZATINA

PRINCÍPIO ATIVO: BENZIL PENICILINA BENZATINA
NOME COMERCIAL: BENZETACIL
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 1.2000.000UI/ 600.000UI 4mL
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibiótico bactericida de espectro estreito
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, realizar a reconstituição com água destilada e aspirar a medicação do frasco-ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, realizar a reconstituição com água destilada e aspirar a medicação do frasco-ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, realizara reconstituição com água destilada e aspirar a medicação do frasco-ampola com agulha 40x12, seringa 5 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Reconstituir com ABD.
v  Não possui estabilidade
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Não se aplica.
INCOMPATIBILIDADE
v  Não administrar juntamente com outras drogas.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Deve ser administrado na região do glúteo em adultos e no músculo médio lateral da coxa em crianças.
v  Pode reduzir a eficácia de contraceptivos orais.

BEMZIL PENICILINA POTÁSSICA

PRINCÍPIO ATIVO BEMZIL PENICILINA POTÁSSICA
NOME COMERCIAL CRISTACILINA
APRESENTAÇÃO Pó para solução injetável
v  Frasco-ampola, contendo 1.000.000 UI
v  Frasco-ampola, contendo 5.000.000 UI
v  Frasco-ampola, contendo 10.000.000 UI
CLASSE FARMACOLÓGICA Antinfecciosos gerais para uso sistêmico, antibacterianos beta-lactâmicos, penicilinas
ADMINISTRAÇÃO IM:
Profunda
IM Reconstituição (diluente/volume)
v  Fr- 1.000.000 UI: água estéril para injeção 2 mL
v  Fr- 5.000.000 UI: água estéril para injeção 5 mL
Diluição
Tempo de administração
ADMINISTRAÇÃO EV:
Infusão intermitente
v  Preparo e administração conforme a(s) via (s) IV
Reconstituição (diluente/volume)
v  Fr- 1.000.000 UI: água estéril para injeção 2 mL
v  Fr- 5.000.000 UI: água estéril para injeção 5 mL
v  Fr- 10.000.000 UI: água estéril para injeção 10 mL
Diluição
v  Solução SG 5%, SF 0,9%.
Diluição vol. da solução
v  Para: 1.000.000 UI diluir em 200 mL
v  Para: 2.500.000 UI diluir em 500 mL
Tempo de administração 1 a 2h
INFUSÃO CONTÍNUA
Reconstituição (diluente/volume)
v  Fr- 1.000.000 UI: água estéril para injeção 2 mL
v  Fr- 5.000.000 UI: água estéril para injeção 5 mL
v  Fr- 10.000.000 UI: água estéril para injeção 10 mL
Diluição
v  Solução SG.5%, SF 0,9%.
Diluição Vol. da solução
v  Fr-amp. 5.000.000 UI diluir em 1000 mL
v  Fr-amp. 10.000.000 UI diluir em 2000 mL
Tempo de administração
v  5.000.000 - 12 h
v  10.000.000 – 24 h
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
Anterior à reconstituição/diluição
v  Temperatura ambiente (15º C a 30ºC)
v  Geladeira (4ºC)
v  Estabilidade Anterior à reconstituição/diluição Sim -
Após a reconstituição
Com água estéril para injeção e após a diluição em SF 0,9% e SG 5% usar imediatamente após reconstituição
DILUIÇÃO
Diluentes: Solução de cloreto de sódio a 0,9%; Dextrose 5% + solução de Ringer lactato; Dextrose 5% +  Solução de cloreto de sódio a 0,9%,  Dextrose 5% +  Solução de cloreto de sódio a 0,45%; Dextrose 5% e 10%;   Solução de Ringer lactato e solução de cloreto de sódio a 0,9%
INCOMPATIBILIDADES
Evitar a administração, no mesmo horário ou simultaneamente na mesma via (em Y), com medicamentos contendo os seguintes princípios ativos: Anfotericina B; Clorpromazina; Cloridrato de dopamina; Doxiciclina; Epinefrina; Hidroxizina; Metaraminol; Cloridrato de metoclopramida; Minociclina; Norepinefrina; Oxitetraciclina; Pentobarbital; Fenitoína; Promazina.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Tempo de infusão crianças e neonatos: 15 a 30 min
v  Armazenamento: Conservar o medicamento em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C).

BENZILPENICILINA PROCAÍNA, BENZILPENICILINA POTÁSSICA

PRINCÍPIO ATIVO BENZILPENICILINA PROCAÍNA, BENZILPENICILINA POTÁSSICA
NOME COMERCIAL BENZAPEN
APRESENTAÇÃO Suspensão injetável, frasco-ampola contendo benzilpenicilina procaína 300.000 U.I e benzilpenicilina potássica 100.000 U.I + diluente
CLASSE FARMACOLÓGICA Antinfecciosos gerais para uso sistêmico, antibacterianos beta - lactâmicos, penicilinas
ADMINISTRAÇÃO IM
Via de administração: somente em injeção intramuscular profunda
Reconstituição:
v  Reconstituinte: Água para injeção
v  Volume: 2ml
Estabilidade:
v  Temperatura ambiente: até 24 horas
v  Temperatura 2°c a 8°c: até 24 horas
Diluição/ Administração
v  Deve ser administrado exclusivamente por via intramuscular.
v  Após reconstituição, a suspensão deve ser utilizada em até 24 horas.
v  O frasco deve ser vigorosamente agitado antes da retirada da dose a ser injetada.
v  Descarte as porções não utilizadas.
v  Recomenda-se a injeção intramuscular profunda no quadrante superior lateral da nádega.
v  Em lactentes e crianças pequenas, pode ser preferível a face lateral da coxa. Para doses repetidas recomenda-se variar o local da injeção.
v  É necessário evitar-se a injeção intra-arterial ou intravenosa, ou junto a grandes troncos nervosos, uma vez que tais injeções podem produzir lesões neurovasculares sérias, incluindo mielite transversa com paralisia permanente, gangrena requerendo amputação de dígitos e porções mais próximas das extremidades, necrose ao redor do local da injeção.
v  Outras reações sérias decorrentes da administração intravascular foram relatadas, tais como: palidez, cianose ou lesões maculares nas extremidades distal e proximal do local da injeção, seguidas de formação de vesículas; edema intenso requerendo fasciotomia anterior e/ou posterior na extremidade inferior.
v  As reações descritas ocorreram com maior frequência em crianças pequenas.
v  Fibrose e atrofia do quadríceps foram descritas em pacientes que receberam injeções repetidas de preparados penicilínicos na região anterolateral da coxa.
v  Injeções em nervos ou nas suas proximidades podem resultar em lesões permanentes.
v  Antes de injetar a dose, deve-se puxar o êmbolo da seringa para trás a fim de certificar-se de que a agulha não esteja em um vaso sanguíneo.
v  Se aparecer sangue, retirar a agulha e injetar em outro local. A injeção deve ser feita lentamente.
v  Interrompa a administração se o paciente queixar-se de dor intensa no local ou se, especialmente em crianças, ocorrer sinais e sintomas que sugiram dor intensa.
v  Devido as altas concentrações da suspensão deste produto, a agulha poderá entupir-se, caso a administração não seja feita de forma lenta e contínua.

ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
INCOMPATIBILIDADES
v  Não encontrada na literatura
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Conservar o medicamento em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C).

BETAMETASONA, FOSFATO DISSODICO/ ACETATO

PRINCÍPIO ATIVO : BETAMETASONA, FOSFATO DISSODICO/ ACETATO
NOME COMERCIAL: CELESTONE SOLUSPAN
APRESENTAÇÃO Ampola 1mL - 6mg/mL.
CLASSE FARMACOLÓGICA Adrenocorticóide, antiinflamatório e imunossupressor.
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 1 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Reconstituído não possui estabilidade.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir na própria seringa, utilizando lidocaína 1 a 2%.
v  A mistura deve ser levemente agitada.
v  Não possui estabilidade.
INCOMPATIBILIDADES
v  Anfotericina B, Anticoagulantes cumarínicos, Efedrina, Fenitoína, Fenobarbital, Rifampicina, Diuréticos Depletores de Potássio.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Não deve ser administrado por via intramuscular em pacientes com púrpura trombocitopenicardiopática.
v  Deve ser protegido contra luz,
v  Não congelar

BICARBONATO DE SÓDIO 8,4%

PRINCÍPIO ATIVO: BICARBONATO DE SÓDIO 8,4%
NOME COMERCIAL: BICARBONATO DE SÓDIO 8,4%
APRESENTAÇÃO Solução Injetável a 8,4%. Ampolas plásticas transparentes contendo 10 mL.
CLASSE FARMACOLÓGICA Soluções hidroeletrolíticas
ADMINISTRAÇÃO
Via de administração:
v  Via parenteral – Para uso intravenoso e intramuscular
v  Por ser de caráter estéril, não se procede em hipótese alguma a guarda e conservação de volumes restantes das soluções utilizadas, devendo as mesmas ser descartadas
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE

Uso Injetável

ATENÇÃO: não utilizar se a solução não estiver clara ou se contiver precipitado.

Bicarbonato de Sódio (solução) – Via Intravenosa Direta

8,4% (1 mEq/ mL);
Estabilidade após aberto (varia conforme o fabricante; verificar)
Temperatura ambiente controlada (15º-30ºC): 1 semana a 1 mês.
Refrigeração (2º-8ºC): 60 a 90 dias.

Bicarbonato de Sódio (solução) – Infusão Intravenosa

8,4% (1 mEq/ mL);
Estabilidade após aberto (varia conforme o fabricante; verificar)
temperatura ambiente controlada (15º-30ºC): 1 semana a 1 mês.
refrigeração (2º-8ºC): 60 a 90 dias.
Pode ser diluído.
DILUIÇÃO
Diluente: Água Estéril para Injeção; Cloreto de Sódio 0,9% ou Glicose 5%.
INCOMPATIBILIDADES
Observações:

Avaliar Riscos X Benefícios

Diminuição da função renal; insuficiência cardíaca congestiva; oligúria ou anúria; condições edematosas ou de retenção de sódio.

Atenção com Outros Produtos

O Bicarbonato de Sódio:
v  Pode diminuir a eliminação pelos rins (risco de toxicidade aumentado) de: anorexígenos; flecainida; mecamilamina; metenamina; quinidina; simpaticomiméticos (anfetaminas; efedrina; pseudoefedrina).
v  Pode diminuir a ação de: clorpropamida; lítio; metotrexato; salicilatos; tetraciclinas
v  Descontinuar o uso se o paciente apresentar alcalose metabólica.
v  Quando o produto for usado como alcalinizador da urina, monitorar o ph da mesma.
v  Cuidado para não haver extravasamento da solução intravenosa.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  O produto deve ser armazenado sob proteção de calor,
v  Umidade
v  E luz natural direta

BIPERIDENO LACTATO

PRINCÍPIO ATIVO BIPERIDENO
NOME COMERCIAL CINETOL, AKINETON
APRESENTAÇÃO Solucao injetavel 5 mg/mL (lactato de biperideno) ampola 5 mg/1 mL
CLASSE FARMACOLÓGICA Antiparkinsoniano; antidiscinético; [anticolinérgico; amina terciária sintética].
ADMINISTRAÇÃO
v  Adultos: para obter uma rápida resposta terapêutica, administra-se uma dose única por via intramuscular ou infusão intravenosa lenta de 2,5 - 5 mg de Akineton (lactato de biperideno).
v  Crianças: a dose deve ser administrada por infusão intravenosa lentamente. Se desaparecerem os sintomas durante a administração, o tratamento poderá ser interrompido. Em caso de necessidade, pode-se repetir esta mesma dose após 30 minutos. Até 1 ano de idade: 1 mg de lactato de biperideno (0,2 ml). Acima de 1 ano até 6 anos de idade: 2 mg de lactato de biperideno (0,4 ml). Acima de 6 anos até 10 anos de idade: 3 mg de lactato de biperideno (0,6 ml).
v  Intoxicações – nos casos de intoxicação aguda por nicotina, recomenda-se, além das medidas habituais, a administração de 5-10 mg por via intramuscular e, em casos graves, 5 mg por via intravenosa lenta
RECONSTITUIÇÂO
v  Não se aplica
ESTABILIDADE
v  Não se aplica
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Não se aplica
INCOMPATIBILIDADE
v  Não encontrada na literatura
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Cuidado especial deve ser tomado com pacientes portadores de glaucoma de ângulo estreito, estenoses mecânicas do piloro e megacólon. Em doenças que possam levar à taquicardia severa, biperideno deverá ser administrado com cautela; e, em pacientes suscetíveis a cãibras, deve ser dosado cuidadosamente.
v  Tratamento sintomático de parkinsonismo arteriosclerótico, idiopático e pós-encefalítico; alívio de reações extrapiramidais induzidas por fármacos; intoxicação por organofosforados ou nicotínicos.
v  Cuidado especial deve ser tomado com pacientes portadores de glaucoma de ângulo estreito, estenoses mecânicas do piloro e megacólon. Em doenças que possam levar à taquicardia severa, biperideno deverá ser administrado com cautela; e, em pacientes suscetíveis a cãibras, deve ser dosado cuidadosamente.
v  Conservar sob temperatura ambiente, entre 15 e 30 .C, em recipientes bem fechados e ao abrigo da luz.
v  Evitar o congelamento.

BROMOPRIDA

PRINCÍPIO ATIVO :BROMOPRIDA
NOME COMERCIAL: DIGESAN
APRESENTAÇÃO Ampola 2mL (5mg/mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antiemético.
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 3 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a medicação da ampola com agulha 40x12, seringa 1 mL, realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 13x 4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 20 mL, agulha 40X12, diluir em 18 mL de ABD. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 10 mL, agulha 40X12, diluir em ABD conforme prescrição. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia da ampola com bola de algodão e álcool 70%, aspirar a dose damedicação prescrita com seringa de 10 mL, agulha 40X12 e realizar a diluição em ABD conforme prescrição médica. Passar para seringa de 1 mL caso seja necessáriovisualização da dose prescrita. Utilizar a seringa de 10 mL para administrar a dose caso ocateter seja PICC. Realizar assepsia do dispositivo com bola de algodão, álcool 70% eadministrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Apresenta-se em solução.
v  Não possui estabilidade.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em ABD e administrar imediatamente após diluição.
v  Não possui estabilidade.
INCOMPATIBILIDADES
v  Atropina, Digoxina, Neuroléptico.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Não pode ser usada durante a gestação.
v  Proteger da luz.

CARVÃO ATIVADO SUSP EM SORBITOL A 70%

PRINCÍPIO ATIVO CARVÃO ATIVADO
NOME COMERCIAL CARVÃO ATIVADO
APRESENTAÇÃO Pó para uso oral (1g/3 mL)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antídoto
INDICAÇÕES
Antídoto inespecífico usado em intoxicações exógenas agudas por: acetilcisteina, fenotiazinas, acido acetilsalicílico, acido mefenâmico, indometacina, acido valpróico, iodetos, anfetaminas, ipeca, antidepressivos tricíclicos, antimônio, cloreto de mercúrio, arsênio, morfina, atropina, cloreto de metiltioninio (azul de metileno), ópio, barbitúricos, organofosforado, canfora, paracetamol, carbamazepina, paraquat, clordiazepoxido, paration, clorfeniramina, penicilina, cloroquina, prata, cocaina, primaquina, colchicina, probenecida, propoxifeno, propantelina, diazepam, mepacrina, digitálicos, quinidina, estricnina, quinina, etclorvinol, salicilato de metila, fenilbutazona, selenio,
sulfonamidas, fenitoína, teofilina, fenol e tetraciclinas.
CONTRAINDICAÇÕES
v  Intoxicação por hidrocarbonetos.
v  Intoxicação por substancias corrosivas
v  Perfuração gastrintestinal.
v  Obstrução intestinal.
v  Cirurgia recente.
v  Risco de hemorragia gastrintestinal.
PRECAUÇÕES
Usar com cuidado nos casos de:
v  Diminuição do grau de consciência (risco de aspiração; recomenda-se intubação nasogástrica).
v  Gravidez e lactação (falta de prova de segurança).
v  Carvão ativado não é efetivo em intoxicações por álcool, DDT, cianetos, ferro, lítio, potássio, acido bórico, carbamatos, bases e ácidos fortes.
v  Não ha prova quanto a efetividade de doses repetidas
ESQUEMAS DE ADMINISTRAÇÃO
CRIANCAS
Intoxicação exógena como antídoto inespecífico
v  1g/kg, ou ate 50 g, por sonda nasogástrica, administrado ate 1 hora ou o mais breve possível após a intoxicação.
ADULTOS
Intoxicação exógena como antídoto inespecífico
v  1 a 2 g/kg, ou ate 50 a 100 g, por sonda nasogástrica, administrado ate 1 hora ou o mais breve possível após a intoxicação.
Aspectos farmacocinéticos clinicamente relevantes
v  O carvão vegetal ativado não e absorvido pelo trato gastrintestinal.
v  Presença de alimentos prejudica a capacidade de ligação do carvão ativado.
v  O tempo médio de transito intestinal do carvão e de 25 horas, contra 1,1 hora para carvão em sorbitol.
EFEITOS ADVERSOS
v  Mais frequentes: fezes enegrecidas, vômitos, obstipação.
v  Menos frequentes: aspiração de partículas de carvão, causando lesão pulmonar.
INTERAÇÕES DE MEDICAMENTOS
v  Em razão de possibilidade de redução da absorção gastrintestinal durante o tratamento com carvão vegetal ativado, recomenda-se que medicamentos de uso continuo sejam administrados por via parenteral.
v  Laxantes: associação pode ocasionar hipopotassemia, hipernatremia, hipermagnesemia e acidose metabólica.
.
ASPECTOS FARMACÊUTICOS
v  Comprimidos de carvão não contem carvão “ativado”, não devendo ser utilizados em casos de intoxicações.
v  Carvão ativado na forma de suspensão possui grande superfície de adsorção disponível, adequada para adsorção de tóxicos.
v  Suspensões com sorbitol ou edulcorantes são preferidas por mascarar o gosto desagradável.
v  A mistura com sorbitol a 70% proporciona suspensão espessa e doce, mais palatável que carvão em água, e tem efeito laxativo que corrige o efeito constipante do carvão. O carvão pode ser misturado a xarope de cereja ou chocolate, sacarina, frutose e sacarose, sem perda de eficácia.
v  Suspensões mantidas em frascos lacrados a temperatura ambiente, de 15 a 30 .C, podem ser armazenadas por ate 1 ano.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
ATENÇÃO:
v  Restringir o uso repetido a substâncias que diminuem o esvaziamento gástrico: carbamazepina, dapsona, quinina, fenobarbital, amitriptilina, dextropropoxifeno, digoxina, disopiramida, nadolol, fenilbutazona, fenitoína, piroxicam, sotalol e teofilina.

CASPOFUNGINA, ACETATO

PRINCÍPIO ATIVO: CASPOFUNGINA, ACETATO
NOME COMERCIAL:CANCIDAS
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 50mg; 70mg
CLASSE FARMACOLÓGICA Antifúngico
ADMINISTRAÇÃO IM
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 8,5 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou Ringer Lactato conforme prescrição médica. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
v  Não se aplica.
NEO:
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
Reconstituir com 10,5mL de ABD depois que o frasco atingir a temperatura ambiente.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9% ou Ringer Lactato
ESTABILIDADE
v  É estável por 24 horas em temperatura até 25°C ou 48 horas em temperatura de 2 a 8°C.
INCOMPATIBILIDADE
v  Ciclosporinas.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Conserve os frascos fechados, em temperatura entre 2°C e 8°C.
v  Os frascos reconstituídos podem ser armazenados em temperatura até 25°C durante 24 horas antes da preparação da solução para infusão.
v  A solução final para infusão intravenosa pode ser armazenada na bolsa ou no frasco em temperatura até 25ºC durante 24 horas ou durante 48 horas quando mantida sob-refrigeração em temperatura entre 2°C e 8°C.
v  Reconstituir com 10,5mL de ABD depois que o frasco atingir a temperatura ambiente.

CEFALOTINA

PRINCÍPIO ATIVO: CEFALOTINA
NOME COMERCIAL: KEFLIN NEUTRO
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 1g (pó liofilizado)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibacteriano, Antibiótico
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 2,5 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 5 mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 2,5 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 3 mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 2,5 mL de ABD, com agulha 40x12, seringa 3mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 20 mL de ABD, com seringa de 20 mL, agulha 40X12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar à dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 5 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 30x8 ou 25x8, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100mL de SF 0,9%, ABD ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40x12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, ABD ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40x12, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, ABD ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Reconstituir em ABD.
v  Estabilidade em temperatura ambiente (15°a 30°C): 12 horas; sob-refrigeração (2°a 8°C):96 horas.
v  Soluções refrigeradas podem precipitar, porém, são facilmente redissolvidas quando colocadas em temperatura ambiente.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Cloreto de Sódio a 0,9%, Glicose 5%, Ringer Lactato ou Glicose 5% em solução de Ringer Lactato
v  volume: 100 mL.
ESTABILIDADE APÓS DILUIÇÃO:
v  Temperatura ambiente (15°a 30°C): 12 horas Refrigeração (2°a 8°C): 7 dias.
v  Soluções refrigeradas podem precipitar, porém, são facilmente redissolvidas quando colocadas em temperatura ambiente.
INCOMPATIBILIDADE
v  Antibióticos cefalosporínicos e aminoglicosídeos, probenecida.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Não se aplica.

CEFAZOLINA

PRINCÍPIO ATIVO : CEFAZOLINA
NOME COMERCIAL: KEFAZOL
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 1g
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibacteriano, Antibiótico
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizara reconstituição introduzindo 2,5 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, com agulha 40x12, seringa 3 mL, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 2,5 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, agulha 40x12 e seringa de 3 mL, no frasco e homogeneizar o póliofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 2,5 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, com agulha 40x12, seringa 3mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13 x 4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV (3 a 5 min).
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF 0,9% ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG  5% conforme prescrição médica. Conectar o equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV
NEO:
Realizar assepsia frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL .Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  IM: Reconstituir em 2,5 mL de ABD.
v  IV: Reconstituir com 10 mL ABD.
v  Estabilidade12 horas em temperatura ambiente (15°a 30°C)
v  Estabilidade de 24 horas sob refrigeração (2°a 8°C), protegido da luz.
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  IV: diluir o produto previamente reconstituído com 50mL a 100mL de SF 0,9% ou SG 5%.Infundir lentamente durante 30 a 60 minutos.
v  Outras soluções compatíveis: Glicose 10%, Glicose 5% em Ringer Lactato, Glicose 5% em Cloreto de Sódio 0,9%,Glicose 5% em Cloreto de Sódio 0,45%, Glicose 5% em Cloreto de Sódio 0,2%,Injeção de Ringer Lactato, Açúcar Invertido 5% ou 10% em Água Estéril para Injeção,Injeção de Ringer, Bicarbonato de Sódio 5%.Estabilidade: 12 horas em temperatura ambiente ou 24 horas sob refrigeração (2°a 8°C), protegido da luz.
INCOMPATIBILIDADE
Antibacterianos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas).
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Por via IM injetar em grande massa muscular.
v  Em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.
v  O produto reconstituído com Solução de Lidocaína 0,5% não pode ser administrado por via intravenosa.

CEFEPIMA CLORIDRATO

PRINCÍPIO ATIVO :CEFEPIMA,CLORIDRATO
NOME COMERCIAL: MAXCEF
APRESENTAÇÃO Frasco 1gr
CLASSE FARMACOLÓGICA  Antibiótico
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de ABD, SF 0,9% ou SG 5%, com agulha 40x12, seringa 5mL no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, agulha 40x12 e seringa de 3 mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 3 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, com agulha 40x12, seringa 10mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EVEM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL ABD, SF 0,9% ou SG 5%, com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar à dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV (3 a 5 min).
PED:
v  Não se aplica.
NEO:
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL ABD, SF 0,9% ou SG 5%, com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%,diluir em 100 mL de SF 0,9% ou SG 5%. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (30 min).
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10mL de ABD, SF 0,9% ou SG 5%, com seringa de 10 mL e agulha 40X12, no frasco homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica. Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (30min).
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição em 10 mL de ABD, SF 0,9% ou SG 5% conforme prescrição médica com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL . Realizar antissepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9% ou SG 5%conforme prescrição médica. Conectar equipo méd med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (30 min).
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica.
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  IM: Reconstituir com 3 mL de ABD, SF 0,9%, SG 5% ou água bacteriostática para injeção com parabenos ou álcool benzílico ou cloridrato de lidocaína a 0,5 ou 1%.
v  IV: Reconstituir com 10mL ABD, SF 0,9% ou SG 5%.
v  Estabilidade: 24 horas à temperatura ambiente controlada (20ºC e 25ºC) ou por 7 dias sob refrigeração (2ºC a 8ºC).
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em 50-100 mL de SF 0,9% ou SG 5% ou 10% ou injeção de lactato de sódio M/6, solução injetável de Ringer Lactato.
v  Infundir em 30 minutos.
v  Diluído possuem estabilidade de 24 horas em temperatura ambiente ou 7 dias sob refrigeração.
INCOMPATIBILIDADE
v   Metronidazol, vancomicina, gentamicina, sulfato de tobramicina ou sulfato de netilmicina.
v  Entretanto, caso a terapia concomitante, cada um desses antibióticos poderá ser administrado separadamente.
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  Não deve ser usada durante a lactação.
v  Administrar essa medicação separada dos demais antibióticos.
v  Infundir em 30 minutos.

CEFOXITINA

PRINCÍPIO ATIVO : CEFOXITINA
NOME COMERCIAL: MEFOXIN
APRESENTAÇÃO Frasco 1g (pó liofilizado)
CLASSE FARMACOLÓGICA Antibiótico.
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 2 mL de solução de lidocaína 1% ou ABD, com agulha 40x12,seringa 5 mL no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a introduzindo 2 mL de solução de lidocaína 1% ou ABD, utilizando seringa de 3 mL e agulha 40x12, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 2 mL de solução de lidocaína 1% ou ABD, utilizando seringa de 3 mL e agulha 40x12, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em100 mL de SF 0,9%, SG 5% ou ABD. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo simples ou equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
Reconstituir em ABD ou 2 mL de Cloridrato de Lidocaína a 1%.Estável por 24 horas, se mantido a temperatura ambiente (temperatura entre 15°C e30ºC), ou 48 horas se mantido sob refrigeração (temperatura entre 2°C e 8°C).
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD.
v  Estável por 24 horas à temperatura ambiente e 48h sob-refrigeração quando diluído com água destilada e 7 dias quando diluído em SF 0,9% ou SG 5% e mantido sob refrigeração(menos de 5°C).
INCOMPATIBILIDADES
v  Heparina, Metronidazol, Vancomicina, Hidrocortizona.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Não deve ser usado durante a gestação ou lactação.

CEFTAZIDIMA

PRINCÍPIO ATIVO : CEFTAZIDIMA
NOME COMERCIAL: FORTAZ
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 1g
CLASSE FARMACOLÓGICA  Antibiótico bactericida de amplo espectro
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizara reconstituição introduzindo 3 mL de ABD ou cloreto de lidocaína a 0,5-1,0%, com agulha 40x12, seringa 3 mL, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produtoou de ABD, agulha 40x12 e seringa de 3 mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a doseda medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 3 mL de Solução de Lidocaína 0,5% que acompanha o produto ou de ABD, com agulha 40x12, seringa 3mL, no frasco e homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5 conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%.  Realizara reconstituição introduzindo 10 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizara reconstituição introduzindo 8 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 100 mL de SF 0,9%, SG 5%, Ringer simples ou Ringer Lactato. Conectar equipo simples na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
PED:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5%, Ringer simples ou Ringer Lactato conforme prescrição médica. Conectar equipo simples ou equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
NEO:
Realizar assepsia do frasco-ampola com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12, no frasco-ampola, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL.Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5%, Ringer simples ou Ringer Lactato conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÂO
v  IM:Reconstituir em ABD ou cloreto de lidocaína a 0,5-1,0%.
v  IV: Reconstituir em ABD.
ESTABILIDADE
v  Diluído conserva-se por 18 horas em temperatura até 25ºC ou por 7 dias quando guardado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C).
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em 50 mL de SF 0,9%, SG 5%, Ringer Simples ou Ringer lactato. Diluído conserva-se por 18 horas em temperatura até 25ºC ou por 7 dias quando guardado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C).
INCOMPATIBILIDADE
v  Aminofilina, Bicarbonato de Sódio, Midazolam, Ranitidina, Vancomicina, Fluconazol
INFORMAÇÕES ADCIONAIS
v  É menos estável na solução de bicarbonato de sódio (que não é recomendada como diluente).
v  Tem-se relatado precipitação quando a vancomicina é adicionada à ceftazidima em solução.
v  Portanto, é prudente lavar os circuitos de infusão e as linhas intravenosas entre a administração desses dois agentes.
v  Cautela quando administrado a lactantes ou em pacientes que apresentem sensibilidade a penicilina e que possuam disfunção hepática.

CEFTRIAXONA DISSODICA

PRINCÍPIO ATIVO :CEFTRIAXONA DISSODICA
NOME COMERCIAL: ROCEFIN
APRESENTAÇÃO Frasco-ampola 1 g (pó liofilizado)
CLASSE FARMACOLÓGICA  Antibacteriano
ADMINISTRAÇÃO IM
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 3,5 mL de solução de lidocaína 1%, com agulha 40x12 e seringa de 5 mL, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 30x8 conforme técnica IM.
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar introduzindo 3,5 mL de solução de lidocaína 1%, agulha 40x12 e seringa de 5 mL,homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com agulha 25x7 conforme técnica IM.
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição em 2,5 de solução de lidocaína 1%, agulha 40x12 e seringa de 3 mL,homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar antissepsia da pele com bola de algodão, álcool 70% e aplicar com seringa de 1 mL e agulha 13x4,5conforme técnica IM.
ADMINISTRAÇÃO EV EM BOLUS
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD, com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução, aspirar a dose da medicação prescrita. Administrar lentamente conforme técnica EV (2 a 4 minutos).
PED:
v  Não se aplica
NEO:
v  Não se aplica.
ADMINISTRAÇÃO EV EM SOLUÇÃO
ADULTO:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em 500 mL de SF 0,9%, SG ou ABD. Conectar equipo med med na medicação diluída e ministrar lentamente conforme técnica EV (pelo menos 30 min).
PED:
Realizar assepsia do frasco com bola de algodão e álcool 70%. Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG 5% ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV (pelo menos 30 min).
NEO:
Realizar assepsia frasco com bola de algodão e álcool 70%, Realizar a reconstituição introduzindo 10 mL de ABD com seringa de 10 mL, agulha 40X12 no frasco, homogeneizar o pó liofilizado com movimentos circulares assegurando completa homogeneidade da solução e aspirar a dose da medicação prescrita com seringa de 1 mL. Realizar assepsia do dispositivo que será diluído a medicação, com bola de algodão e álcool 70%, diluir em SF 0,9%, SG ou ABD conforme prescrição médica. Conectar equipo med med na medicação diluída e administrar lentamente conforme técnica EV.
ADMINISTRAÇÃO SC
v  Não se aplica
RECONSTITUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  IM: Reconstituir com 3,5 mL de solução de lidocaína 1%. Esta solução nunca deve ser aplicada na veia.
v  EV: Reconstituir com 10 mL de ABD.
v  Reconstituído é estável por 6h à temperatura ambiente e 24h sob-refrigeração (2º e 8 °C).
DILUIÇÃO/ ESTABILIDADE
v  Diluir em 40 mL de SF 0,9%, cloreto de sódio 0,45% + dextrose 5%, dextrose 10%, dextram 6% em dextrose 5%, infusão de amino-hidroxi-etil 6-10%, água estéril para injeção.
v  Utilizar soluções diluentes que não contenham cálcio.
v  A infusão deve ser administrada em pelo menos 30 min.
v  A solução deve ser administrada imediatamente após a diluição..
INCOMPATIBILIDADES
v  Não deve ser diluído em soluções contendo cálcio, como Solução de Hartmann ou Solução de Ringer.
v  Não deve ser diluída em frascos com outros antimicrobianos, como amsacrina, vancomicina, fluconazol e aminoglicosídeos.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
v  Pode causar candidíase oral e vaginal, diarreia, anemia;
v  Recomenda-se não aplicar mais de 1 g em cada glúteo.
v  Não deve ser administrado com outros antimicrobianos.
v  A injeção IM deve ser feita profundamente em grande massa muscular.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1.    CASTRO, M.S.; COSTA,T.D. Vias e métodos de administração e formas farmacêuticas. In: Farmacologia Clínica para Cirurgiões-Dentistas. 1999 p. 29-35.
2.    DINIS, A. P. Guia de preparação e administração de medicamentos por via parentérica. Disponível em:
3.    ENFERMAGEM BÁSICA - Teoria e Prática. 1999. Editora Reedel Ltda.
4.    FARIH, F. T. Manual de Diluição e Administração de Medicamentos Injetáveis. Rio de Janeiro:
5.    GIOVANI, A M.M. Enfermagem: cálculo e administração de medicamentos São Paulo: Legnar
6.    HORTA,WANDA AGUIAR. TEIXEIRA,MILTON DE SOUZA. Injeções Parenterais. Ver. Esc. Enfermagem USP 7(1):46-79.marc.1973.
7.    MANUAL DO AMBIENTE HOSPITALAR. São Paulo: Manual Real, 2005. p.55-7
8.    KAWAMOTO, E.E. FORTES, J.I. Fundamentos de Enfermagem. 1997. Editora Pedagógica e Universitária Ltda.
9.    MENDES, ISABEL AMÉLIA COSTA. NOGUEIRA, MARIA SUELY et al. Rev.Bras. Enfermagem. 41(2):93-6.abr-jun. 1988.
10. PHILLIPS, D. L. Manual de Terapia Intravenosa. Porto Alegre,: Artmed, 2001. Reichmann & Affonso Ed., 2000.
11. SCHULL, P. D. Enfermagem Básica: teoria e prática Cap. 6 A Terapia Intravascular p.277. Rideel, São
12. SOUZA, V. H. S; MOZACHI, N. Rotinas: administração de medicamentos.
13. TRISSEL, L.A. Handbook on Injectable Drugs. Houston, American Society of Health-System Pharmacists, 2007.
14. WEINSTEIN, S. Principles and Practice of Intravenous Therapy. New York, Lippincott, 2001.

Um comentário:

  1. A OncoExpress é uma empresa que comercializa medicamentos especiais que tem como conceito a excelência na prestação de serviço com dedicação, agilidade, segurança e qualidade.

    Com o objetivo de facilitar a aquisição de medicamentos especiais, a OncoExpress cumpre o papel de ser uma peça fundamental no tratamento, atendendo a necessidade da Classe Médica, que é a garantia da qualidade de vida para seus pacientes.

    Atendemos todo o território nacional, dispensando e entregando nos locais onde nossos clientes desejam receber. Nosso estoque é climatizado, seguindo as normas de boas práticas de armazenamento e acondicionamento, garantindo a qualidade dos produtos que comercializamos.

    Comprar agora ficou mais fácil! Ligue e faça seu orçamento sem compromisso!

    Nosso horário de funcionamento é de 2ª a 6ª feira das 8:00 hs às 18:00 hs e nossa central de telemarketing estará prontamente disponível para receber sua ligação.

    CONTATOS PELO TELEFONE

    (11) 3569-9648

    e-mail: vendas@oncoexpress.com.br

    ResponderExcluir